domingo, 11 de novembro de 2018

Os primeiros microcomputadores

 Os primeiros microcomputadores surgiram na década de 70, concretizando uma filosofia revolucionária até então, onde uma pessoa poderia ter a disponibilidade de uso de um computador para uso exclusivo, sem a necessidade de estar presa a um computador maior e compartilhando recursos com outras pessoas.

Os primeiros microcomputadores utilizavam processadores de 8 bits, como o Apple, Radio Shack e Expert. Uns utilizavam o processador da Motorola, outros, o processador 8080 da Intel. A Intel foi a primeira empresa a fabricar também microcontroladores de 8 bits, os quais eram colocados na placa principal para aliviar o microprocessador de tarefas como controle de entradas e saídas (IIO) de dados do teclado, porta paralela, vídeo, portas seriais, e transferências entre memória e periféricos.


O avanço dos microcomputadores se deu por causa da sua arquitetura aberta, onde qualquer interessado tem acesso ao funcionamento do computador. Com isso, padronizou-se o hardware, e o uso de um mesmo sistema operacional é possível mesmo em equipamentos de fabricantes diferentes, o que antes do microcomputador era impossível.

Mas, o maior avanço para esta nova tecnologia se deu quando a IBM decidiu entrar neste tipo de mercado. O IBM – PC foi apresentado em agosto de 1981 e para ele foram criados os sistemas operacionais PC- DOS (Personal Computer – Dísk Operation System) da Seatle Computers e o MS-DOS da Microsoft.

A novidade da IBM foi a utilização do processador Intel 8088 que trabalha internamente com 16 bits simultâneos, contra os 8 bits de seus antecessores o 8080 e 8085. Mas a transferência de dados externa ainda era feita em 8 bits para poderem ser aproveitados todos os controladores até então desenvolvidos. Este primeiro IBM-PC, foi desenvolvido para ter na placa principal 64 KBytes de memória e cinco slots de expansão. A placa de CPU trazia também controladores de teclado, entrada e saída de dados para gravador cassete e alto falante.


Em 1983 foi lançado o PC-XT (Extended Technology), que trouxe corno inovação a possibilidade de se conectar até oito placas de expansão e possuía 640 KB de memória na placa mãe. O PC-XT foi obtendo melhorias em quantidade de memórias e ganhos em velocidade, graças à concorrência entre diversos fabricantes.


O PC-XT começou a ficar obsoleto, quando em 1984 a IBM lançou o PC-AT (Advanced Technology), que trazia o novo processado r 80286, com capacidade de manipular 16 bits de dados, tanto interna quanto externamente, com isso o conector de expansão passou a ser duplo, para poder acomodar mais estes 8 hits. A principal inovação do microprocessador 80286 foi a possibilidade de endereçar até 16Mega Bytes de memória e a criação do modo de operação protegido. Neste modo de operação, consegue-se isolar vários processos num mesmo sistema operacional. Porém o uso destas facilidades não estavam previstos no MS-DOS, sendo necessária a criação de um novo sistema operacional que utiliza-se todo o poder do 80286, assim nasceu o OS/2 (Operacional System / 2) da 18M/Microsoft, que pode rodar vários programas simultaneamente. Na verdade o microprocessador não executa vários programas ao mesmo tempo, ele dedica frações de tempo para cada programa em execução, dando a impressão que todos estão sendo executados simultaneamente.


A indústria eletrônica continuou evoluindo, em particular a de microprocessadores, lançando o 80386, que trabalha com vários sistema operacionais com maior capacidade de processamento. Depois o coprocessador matemático passa a ser incorporado dentro do próprio microprocessador, eliminando um componente da placa e aumentando o desempenho do computador.

Com o aparecimento do 80486, houve um aumento maior na performance dos computadores. Foi desenvolvido o sistema cujo processador trabalhava com duas velocidades, urna interna e outra externa.

A evolução dos microprocessadores se dava com o aumento na velocidade de operação, e tamanho do barramento de dados, mas sempre com as mesmas instruções existentes desde o 80286. Até que foram lançadas as instruções MMX (Pentíum-Intel) para melhorar o desempenho no cálculo de números inteiros.


E foram desenvolvidas as instruções 3D-Now (K6-AMD) eSSE (Pentium III-InteI), estas tecnologias incorporam novas instruções que agilizam o cálculo de números de ponto flutuante, aumentando o desempenho do computador em aplicativos gráficos e jogos 3D. As instruções SSE também melhoram o desempenho do processador em programas de descompressão de vídeo e reconhecimento de fala, e aplicativos multimídia em geral.



A evolução continua, porém com ganhos em velocidade e capacidade para processamento paralelo, onde executa-se aplica ti vos desenvolvidos com múltiplos processos (rnultithread) mais rapidamente.
Mas é claro que somente os programas otimizados para fazerem uso destas novas instruções apresentam uma melhora em sua performance quando são executados nestes novos processadores.

0 comentários:

Postar um comentário